12 de jan de 2018

PERISPÍRITO

ORIGEM, NATUREZA E FORMA DOS ESPÍRITOS: PERISPÍRITO
    INTRODUÇÃO
   
    Segundo a visão materialista somos apenas o corpo com que vivemos neste mundo. Ora, tudo indica - e a análise química o comprova - que o nosso corpo é formado exclusivamente de matéria, como os demais corpos da natureza.
    Mas a análise consciente e uma observação mais profunda mostram que no existe mais do que matéria. O homem pensa e tem consciência plena de sua existência; relaciona ideias, estabelece conceitos, elabora juízos, constrói raciocínios, tira conclusões, e, servindo-se de um instrumento maravilhoso, que é a linguagem, comunica tudo isto aos seus semelhantes. Nada que a isto sequer se pareça ocorre no mineral, na rocha ou num monte de matéria inanimada.
    A matéria por si mesma não pensa; logo, existe em nós, além do corpo material, algo mais, que é o agente do nosso pensamento, e que se chama alma ou espírito.
    Esse raciocínio, perfeitamente lógico e conforme a mais pura razão humana, deveria bastar para que nenhuma dúvida existisse no homem a respeito de que nele vive essencialmente um espírito.
    Entretanto, muitos há que não creem na realidade da própria existência, em si como Espírito imortal. Então Deus, na sua infinita bondade e amor, concedeu ao homem, com as manifestações espíritas, as provas cabais de que nele vive um espírito, que pré-existe ao corpo e sobrevive à morte física.
    O ESPÍRITO
    Em [Livro dos Espíritos - questão 76] os Espíritos são definidos como sendo "os seres inteligentes da Criação". São criados por Deus permanentemente, e, em sua essência, se apresentam como "uma chama, um clarão ou centelha etérea" [LE-qst 88]. Os Espíritos são eternos e indestrutíveis, mantendo sempre a sua individualidade.
    Quanto à natureza íntima dos Espíritos podemos compreender que a inteligência é o seu atributo essencial.
    Todos são criados iguais, "simples e ignorantes" e dotados de faculdades a serem desenvolvidas através das experiências reencarnatórias.
    Em [A Gênese] Allan Kardec externa mais claramente o seu pensamento evolucionista, afirmando que "O espírito não chega a receber a iluminação divina, sem haver passado pela série divinamente fatal dos seres inferiores."
    Quanto a sua apresentação exterior, o espírito propriamente dito não a tem, pois é imaterial, mas se encontra revestido, sempre, de um corpo energético, fluídico, que Kardec denominou de perispírito. O perispírito dará forma ao espírito, permitindo sua identificação.
    O PERISPÍRITO
    Estudando as religiões e filosofias vê-se que muitos homens procuraram um elemento energético que pudesse servir de união entre o corpo físico e o espírito, numa harmônica gradação vibratória. Por exemplo: No Egito acreditava-se na existência de um corpo chamado KA. Na Índia, denominavam de "Língua Sharira". Os filósofos gregos chamavam-no de "Veículo Leve", "Corpo Luminoso" e "carro sutil da alma". Para Leibnitz, chamava-se "corpo fluídico" e para Paulo de Tarso, "Corpo Espiritual".
    No exame de suas principais características, o perispírito deverá ser analisado sob os seguintes aspectos:
    a) Função: quando encarnado, é o intermediário entre o espírito e o corpo somático, tendo como função transmitir as sensações do corpo para o espírito e as impressões do espírito para o corpo. É ainda o "campo modelador da forma", pois, durante a gestação, será o perispírito o responsável pela estruturação do embrião, através de um campo magnético criado por ele. No Espírito desencarnado o perispírito corresponde ao seu envoltório, possuindo em sua estrutura eletromagnética órgãos e sistemas celulares à semelhança do corpo físico;
    b) Forma: geralmente a forma do perispírito corresponde a aparência do corpo somático. Ao desencarnarmos, o corpo espiritual, na maioria das vezes, mantém a forma que tinha quando encarnado, no entretanto, muitos Espíritos estão aptos a promoverem transformações em sua organização perispiritual, podendo assumir uma aparência de encarnações anteriores;
    c) Densidade: a densidade do perispírito é rarefeita nos Espíritos já evoluídos e pastosa ou opaca nos Espíritos ainda imperfeitos;
    d) Coloração: o perispírito não está preso no corpo como se estivesse dentro de uma caixa; ele se irradia e se projeta além do corpo físico, formando a Aura. Esta estrutura vai assumir colorações diferentes em função do estágio evolutivo do indivíduo. Brilhante e luminosa nos Espíritos superiores e sem nenhum brilho, sem luminosidade e sem beleza nas entidades muitos materializadas;
    e) Centros de Força: o perispírito é constituído de vários centros energéticos que concentram e coordenam a assimilação e distribuição de energias. São denominados de chacras ou centros de força.
    Segundo André Luiz [Missionários da Luz, Evolução em Dois Mundos] os principais chacras são: coronário (alto da cabeça), cerebral (na fronte), laríngeo (pescoço), cardíaco (no peito), gástrico (abdômen), esplênico (região do baço) e genésico (sobre o aparelho genital).

Bibliografia
1) O Livro dos Espíritos - Allan Kardec
2) A Gênese - Allan Kardec
3) Evolução em Dois Mundos - André Luiz/Chico Xavier - Waldo Vieira
4) Psi Quântico - Hernani Guimarães Andrade
5) Espírito, Perispírito e Alma - Hernani Guimarães Andrade
6) Psicologia Espírita - Jorge Andréa
7) Obras Póstumas - Allan Kardec
8) Missionários da Luz - André Luiz/Chico Xavier

Apostila Original: Instituto de Difusão Espírita de Juiz de Fora - MG

Nenhum comentário:

Postar um comentário