22 de set de 2017

Fim dos Tempos

    Estamos no fim dos tempos, dos tempos do Mal! É bom que se compreenda a grande transformação nestes termos, e não como o fim do mundo físico.
    Os clarins já estão tocando, em busca das ovelhas escolhidas pelo Senhor para o grande vestibular da Verdade. Reveste-te de coragem avança decididamente com o Cristo no coração e acima de tudo na vida, pois, desta forma, abrir-se-á à tua frente uma lavoura deslumbrante, onde poderás trabalhar na descoberta de ti mesmo. E com o decorrer do tempo, o sol haverá de nascer no horizonte do seu mundo individual, para jamais se apagar.
    Dá os primeiros passos, trabalhando os pensamentos e com as mãos, ajudando os caídos, com a palavra de estímulo aos desventurados, com o pão ao faminto, com as vestes aos que sentem frio e nudez, que a inspiração maior servirá de ti como instrumento para outros labores de maior alcance, em zonas ou regiões nunca antes percebidas.
    Faze alguma coisa, meu filho, antes que se rompa o fio prata, antes que chegue o dia da tua mudança para a pátria dos espíritos, livre da matéria.
    Aproveita as oportunidades que te foram dadas por Deus, de te engrandecer diante da eternidade e cumpre os compromissos assumidos durante os preparativos para reencarnar na Terra, antes que se despedace o corpo de ouro. Ele é ouro divino em tuas mãos humanas. Aproveita-o bem, à medida que o teu coração ditar, com a consciência desperta em Jesus Cristo.
    Não permitas que se quebre o cântaro junto à fonte, o cântaro dos teus ideais no Bem, junto à fonte da tua existência, Certamente verás outra que, no entanto, poderá te custar muitos sacrifícios e, quem sabe, muitos séculos de espera.
    Desperta para os teus compromissos, sem que te esqueças das orações diante de Deus, para que Ele te ajude a compreender a hora de começar e te dê força no agir, antes que se desfaça a roda junto ao poço.
    Estuda, para que não se desfaça a espiral da tua evolução, frente aos mananciais de conhecimento que se encontram no Suprimento Maior, esperando a tua decisão, o teu pedir pelo trabalho, pela vida, pelo que deve ser.
    Empenha-te, para que o pó volte à terra como era e o espírito volte a Deus, que o deu, com a tranquilidade de ter feito o melhor que pôde.
    Pensa um pouco, companheiro da eternidade, e deixa cair as escamas que cegam teus olhos. Começa a trabalhar, mas a trabalhar dentro de ti em primeiro lugar, porque o maior campo de trabalho não está fora de nós, o maior inimigo a ser vencido é o conjunto das forças negativas geradas dentro de nós, com variados nomes, que todos identificamos em nossas intimidades diárias.
    Compenetra-te no que fazer da tua vida e faze-o bem. Não faças da oração um vício, para não desmerecê-la; escolhe as horas que melhor te agradarem e confia na sua eficácia. Reveste-te de amor, para que Deus possa te dar a chave da alegria pura e fazer da tua palavra um poço, onde todos que te encontrem ou convivem contigo possam sorver a paz e o equilíbrio, sem que se esgotem os teus recursos.
    Nunca percas a oportunidade de ajudar, onde quer que seja. O Sol, na sua missão de servir, sempre está aceso.


Livro: Iniciação - Viagem Astral - João Nunes Maia - Lacelin

Nenhum comentário:

Postar um comentário